Piscinas das Olimpíadas Rio 2016 passam das medalhas aos mosquitos

Palco das cinco medalhas de Michael Phelps e de tantos outros atletas da natação e do polo aquático nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, as piscinas do Estádio Olímpico de Esportes Aquáticos se despediram dos atletas e, desde o fim dos jogos, transformaram-se em espaço ideal para o aumento da população de insetos transmissores de doenças.

estadio olimpico aquatico rio 2016

 

Resultado de imagem para foto piscinas rio 2016 abandonadas

As instalações do complexo, que conta com duas piscinas de tamanho olímpico (50 x 15 x 3 m) – uma para aquecimento e outra para competições –, ventilação natural e painéis na fachada assinados pela artista plástica Adriana Varejão, foi pleiteado por vários municípios, que gostariam de receber as piscinas olímpicas depois dos jogos.

Mas, conforme informações do jornal El País, as estruturas das piscinas permanecem no Parque Olímpico, dividindo espaço com restos de entulhos, materiais de construção e sujeira. A água que enchia os tanques durante os jogos foi retirada, assim como o revestimento do fundo e das laterais da piscina. Hoje, restam apenas restos de água parada e, consequentemente, mosquitos responsáveis pela transmissão de doenças como dengue, zika e chikungunya.

Fontes: El País, G1, O Estado de S. Paulo e Terra.

Fotos: Gabriel Heusi e Pilar Olivares / Reuters

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s